Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

O homem é um visionário...Idiota, mas visionário...

25.09.12publicado por Gato Pardo

 

O tópico do dia nos EUA são as afirmações de Mitt Romney sobre aviões, oxigénio, altitudes e a impossibilidade de abrir janelas.

Segundo a imprensa, tudo não passou de uma piada.

Mas eu sei de fonte segura que não é bem assim.

Tal como Romney, eu sou um acérrimo defensor da abertura de janelas durante vôos de longa duração.

Isso e jogar Tetris no computador de bordo dos aviões. Muito fixe. Ou Space Invaders.

Melhor só mesmo jogar tetris no computador de bordo do avião enquanto se fuma um cigarrito com o braço de fora da janela a 10 mil metros de altitude e se tem sexo com uma hospedeira sueca para fazer parte do afamado Mile High Club. Isso era ouro sobre azul. Muito estilo mesmo.

Eu até tenho mais umas quantas sugestões sobre coisas que deveriam ser feitas e não acontecem.

- Devia ser feito um sorteio de rifas a bordo de aviões a caminho do Rio de Janeiro. O passageiro que melhor souber dançar samba teria a possibilidade de (tentar) aterrar o bicho, para alegria incontida (e terror psicológico) de todos os restantes passageiros.

- Em vez de passarem filmes ranhosos série B, deviam encher as máscaras de oxigénio com hélio e obrigar os passageiros a enfiar aquilo no trombil e recitar as passagens mais eróticas do livro "50 sombras de Grey". Levaria o sado masoquismo para outro nível.

- Devia ser permitido agendas telefónicas de 83 do território português como material de leitura nos aviões. Não para ler mas para mandar à testa dos idiotas que por vezes vão atrás de nós e passam horas a enterrar os joelhos no nosso assento. Claro que existe a probabilidade de aquilo que sentimos não serem os joelhos. Nesse caso, exijo a substituição das listas telefónicas por uma moto serra industrial para lhe cortar a gaita. E a possibilidade da abertura das janelas como diz Romney para dar de comer a dita gaita aos pelicanos.